Ministério Geon

Evangelizando pela Música, Teatro e Dança

Nos encontre no Facebook temos postado mais lá sobre nossas atividades- https://www.facebook.com/Ministerio.Geon?ref=bookmarks ;

Louve conosco- http://www.garagemmp3.com.br/banda.js.htm?banda=ministerio-geon

 

Ministério de Música e teatro Geon - CD Cruz Sacra Sit Mihi Lux

http://ministeriogeon.ning.com/photo/photo/slideshow?albumId=5855442:Album:23849

Musical Batalha no Céu - http://ministeriogeon.ning.com/video/ministerio-geon-clipe-batalha

Musical o Sequestro - http://ministeriogeon.ning.com/video/musical-o-sequestro

Estivemos no CEV 2014

Membros

Aniversários

Não há aniversários hoje

Últimas atividades

Renato Bigoto Gennari postou um vídeo

Sonda-me Violino e Piano

Maestro Schneider e seu aluno Renato Bigoto Gennari em interpretação da música Sonda-me.
9 Mar
Renato Bigoto Gennari deu um presente para Mauro
3 Ago, 2015
Eliana araujo é agora um membro de Ministério Geon
24 Maio, 2015
Renato Bigoto Gennari postou um vídeo

Consagração Nossa Senhora - Maestro Schneider

Consagração à Nossa Senhora interpretado em Violino e Piano, por Maestro Schneider e seu aluno Renato Bigoto Gennari. Aulas de violino: http://www.maestrosch...
25 Mar, 2015

Grupos

Formado por volta de 1992, o Geon tem por objetivo a Evangelizar através da Música, Teatro e Dança.

 

Fotos

Carregando...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Vídeos

  • Adicionar vídeo
  • Exibir todos

Mensagens rápidas para pensar.

Bíblia

A Bíblia não é um simples livro. Ela é uma biblioteca de 73 livros. Eles são bem diferentes uns dos outros, têm os mais diversos estilos, foram escritos em épocas muito distantes e em situações muito diferentes.

A Bíblia não foi escrita numa única língua, mas em três línguas diferentes. A maior parte do Antigo Testamento foi escrita em hebraico. Era a língua que se falava na Palestina antes do cativeiro. Depois do cativeiro, o povo de lá começou a falar o aramaico.

Mas a Bíblia continuou a ser escrita, copiada e lida em hebraico. Para que o povo pudesse ter acesso à Bíblia, foram criadas escolinhas em toda a parte. Jesus deve ter frequentado a escolinha de Nazaré para aprender o hebraico. Só uma parte bem pequena do Antigo Testamento foi escrita em aramaico.

Um único livro do Antigo Testamento, o livro da Sabedoria, e todo o Novo Testamento foram escritos em grego. O grego era a nova língua do comércio que invadiu o mundo daquele tempo, depois das conquistas de Alexandre Magno, no século IV antes de Cristo.

Assim, no tempo de Jesus, o povo da Palestina falava o aramaico em casa, usava o hebraico na leitura da Bíblia, e o grego no comércio e na política.

O cânon (lista) católico contém 46 livros e o protestante, 39. Neste, estão ausentes os livros de Tobias, Judite, Sabedoria, Baruc, Eclesiástico (Sirácida ou Sirac), I Macabeus e II Macabeus. Além disso, faltam alguns fragmentos dos livros de Ester e de Daniel.

A Igreja Católica, além das Sagradas Escrituras e da Tradição, está embasada também no Magistério.

No século XVI, os protestantes afastaram-se do Magistério, renegando-o. Sob a alegação de que a Igreja Católica havia se corrompido, empreenderam um grande esforço arqueológico para recuperar a chamada Igreja "primitiva". Nesse movimento, descobriram que o povo judeu possuía uma lista diferente de livros sagrados, com 39 livros - ou seja, 7 livros a menos que o cânon católico. Daí para concluírem que a Igreja Católica acrescentou os outros livros foi questão de tempo.

Os sete livros adicionais recebem o nome de deuterocanônicos. A palavra "deuteros" vem do grego δευτεροσ e significa "segundo". Eles são assim chamados pois, apesar de já constarem no cânon no Concílio de Cartago, no século IV, só foram oficializados pelo Concílio de Trento, no século XVI. Em verdade, eles já se encontravam na versão grega da Bíblia, chamada Septuaginta, só não faziam parte do texto hebraico. A partir disto, no século XIX, os protestantes decidiram abolir definitivamente os sete livros de seu cânon.

Os cinco livros de Moisés, isto é, Gênesis, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio; 

os livros de Josué, dos Juízes, de Rute, os quatro dos Reis, os dois dos Paralipômenos, Esdras e Neemias, Tobias, Judite, Ester, Jó, os Salmos e Davi, os Provérbios, o Eclesiastes, o Cântico dos Cânticos, a Sabedoria, o Eclesiástico, Isaías, Jeremias, Baruc, Ezequiel, Daniel, os doze profetas menores, isto é, Oséias, Joel, Amós, Abdias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuc, Sofonias, Ageu, Zacarias, Malaquias, os dois de Macabeus, os quatro Evangelhos de Mateus, de Marcos, de Lucas e de João, as catorze cartas de Paulo: aos Romanos, duas aos Coríntios, aos Gálatas, aos Efésios, aos Filipenses, aos Colossenses, as duas aos Tessalonicenses, duas a Timóteo, a Tito, a Filêmon, a Epístola aos Hebreus, a Epístola de Tiago, as duas cartas de Pedro, as três João, uma de Tiago, uma de Judas, os Atos dos Apóstolos e o Apocalipse de São João." (DH 1330)

1850 - Por volta do ano 1850 antes de Cristo, Abraão mudou-se de Ur, na Caldéia, para Haran, que fica entre os rios Tigre e Eufrates.

1800 – Aí pelo ano de 1800, atendendo ao chamado de Deus, Abraão foi morar na Palestina, ou Terra de Canaã, a terra que o Senhor lhe havia prometido.

1700 - Mais ou menos pelo ano 1700, Jacó e seus filhos foram para o Egito, onde já estava José, que tinha sido vendido pelos irmãos. No começo, enquanto José era Vice-Rei do Egito, os israelitas gozavam de liberdade. Mas, depois de 400 anos, o Povo de Deus estava submetido à dura escravidão na terra dos Faraós. Os hebreus amassavam o barro nas olarias do Egito, sem gozar de direito algum no país.

1300 - Aí pelo ano de 1300, por ordem de Deus (Javé), Moisés tira o Povo de Israel da escravidão do Egito. E vai à frente Prometida, que tinha sido o berço do Povo de Israel. Os hebreus peregrinaram pelo deserto durante 40 anos.

1240 - Nessa época. Deus renovou a sua Aliança com os descendentes de Abraão. O Decálogo, que continha a Lei da Aliança, foi entregue a Moisés no Monte Sinai.

1200 - Moisés não chegou a entrar na Terra de Canaã. Morreu quando estava avistando as Montanhas da Terra Prometida. Então, Josué foi quem se pôs à frente do Povo de Israel e, depois de muitas batalhas com povos vizinhos, conseguiu tomar posse da Terra de Canaã, aí pelo ano 1200 antes de Cristo. Esse foi o período em que o Povo de Deus foi governado pelos Juízes. Um período de 75 anos. Samuel foi o último Juiz de Israel. Os Juízes eram líderes que assumiam a defesa de uma ou mais tribos de Israel, quando atacadas por povos vizinhos. Então o Juiz se constituía um governador, com forte autoridade.

1025 - Termina aqui o período dos Juízes. Samuel foi o último Juiz de Israel. Embora muito contra a sua vontade, começa o período dos Reis.

1030 - Tem início o período do Reino. O primeiro Rei de Israel foi Saul, ungido por Samuel. Mas Saul não mereceu a confiança do Povo nem as bênçãos de Deus.

1000 - Para substituir Saul, foi ungido o famoso Rei e profeta Davi. Homem que marcou a história do Reino de Israel com sua grandeza de alma. Foi quem escreveu a maioria dos Salmos da Bíblia. Teve grandes pecados, mas soube pedir perdão publicamente. Por esse tempo deu-se a tomada de Jerusalém.

971 - Nesse tempo Salomão é Sagrado Rei de Israel. Tornou-se célebre pela sua grande sabedoria. Foi ele quem começou a construção do famoso Templo de Jerusalém. Aí o Reino ou Monarquia chegou ao seu ponto máximo.

930 - Deu-se nesse ano a divisão do Reino. Constituiu-se o Reino do Norte (Samaria) e o Reino do Sul (Judá). A capital do Reino do Norte era a cidade de Samaria, e a capital do Reino do Sul era Jerusalém. Essa cisão vai até o ano 722.

746 - Começa o longo período dos profetas. Isaías, o maior deles, começa a profetizar, a denunciar as injustiças e a predizer a vinda do Messias. Isaías e Miquéias profetizam no Reino do Sul. No Reino do Norte profetizam: Elias, Eliseu, Amós e Oséias.

722 - Nesse tempo dá-se a queda da Samaria. Com isso vem fim do Reino do Norte, e começa a haver um só Reino em Israel.

727 - De 727 a 699 reina Ezequias, o rei piedoso. Por esse tempo acaba de ser fundada a cidade de Roma.

641 - De 641 a 611 reina Josias, o rei zeloso da Lei de Deus. Seu nome significa: “Aquele que Deus fortifica”. É filho de Acaz.

626 - Nessa época profetizam: Sofonias, Naum, Habacuc, Jeremias e Baruc. Jeremias profetiza a queda de Jerusalém.

587 - Nesse ano dá-se a queda de Jerusalém, predita pelo profeta Jeremias. Milhares de israelitas são deportados para Babilônia. No Exílio profetizam: Ezequiel e Daniel.

538 - Ciro, rei da Pérsia, derrota os babilônios e decreta a volta dos exilados de Israel. O povo hebreu chora ao ver a cidade e o templo destruídos.

520 - Ageu e Zacarias profetizam. Unem o povo, e o templo é reconstruído. Por essa época começa a profetizar também Malaquias.

445 - Neemias reergue os muros de Jerusalém. Houve uma oposição da Samaria para a reconstrução das muralhas de Jerusalém.

398 - O sacerdote Esdras dedica-se à restauração da comunidade dos judeus em Jerusalém. Era também escriba e conseguiu realizar a nova promulgação da Lei.

331 -Começa um breve período de dominação grega. Mas no ano 323, Israel fica sob o domínio dos Egípcios. (Dinastia dos Ptolomeus)

200 - Começa a famosa tradução do Antigo Testamento para o grego, feita pelos 70 sábios de Alexandria.

198 - Os judeus ficam sob o domínio dos sírios (Dinastia dos Selêucidas).

175 - Antíoco IV promove forte perseguição religiosa contra os judeus.

167 - Os irmãos Macabeus oferecem grande resistência.

163 - Esse ano marca a tomada de Jerusalém por Pompeu.

140 - Herodes, o Grande, é feito rei dos judeus, por favor dos romanos. Reina até o ano 4 antes de Cristo.

120 - Nova reconstrução do templo – Nascimento de Jesus, o Messias anunciado pêlos profetas e esperado pelos judeus.

Plano de leitura do Novo Testamento

1. 1ª Carta de São João. (2 vezes)
2. Evangelho de São João
3. Evangelho de São Marcos
4. As pequenas cartas de São Paulo:
Gálatas
Efésios
Filipenses
Colossenses
1ª e 2ª Tessalonicences
1ª e 2ª Timóteo
Tito
Filêmom

5. Evangelho de São Lucas
6. Atos dos Apóstolos
7. Carta aos Romanos
8. Evangelho de São Mateus
9. 1ª e 2ª Carta aos Coríntios
10. Hebreus
11. Carta de São Tiago
12. 1ª e 2ª Carta de São Pedro
13. 2ª e 3ª Carta de São João
14. Carta de São Judas
15. Apocalipse
16. 1ª Carta de São João (3ª vez)
17. Evangelho de São João (2ª vez)

A águia é a ave que possui a maior longevidade da espécie. Chega a viver cerca de 70 anos. Porém, para chegar a essa idade, aos 40 anos, ela precisa tomar uma séria e difícil decisão. Aos 40 anos, suas unhas estão compridas e flexíveis e já não conseguem mais agarrar as presas, das quais se alimenta.O bico, alongado e pontiagudo, se curva. Apontando contra o peito, estão as asas, envelhecidas e pesadas, em função da grossura das penas, e, voar, aos 40 anos, já é bem difícil! Nessa situação a águia só tem duas alternativas: deixar-se morrer... ou enfrentar um dolorido processo de renovação que irá durar 150 dias. Esse processo consiste em voar para o alto de uma montanha e lá recolher-se, em um ninho que esteja próximo a um paredão.Um lugar de onde, para retornar, ela necessite dar um vôo firme e pleno.Ao encontrar esse lugar, a águia começa a bater o bico contra a parede até conseguir arrancá-lo, enfrentando, corajosamente, a dor que essa atitude acarreta. Espera nascer um novo bico, com o qual irá arrancar as suas velhas unhas.Com as novas unhas ela passa a arrancar as velhas penas. E só após cinco meses, "renascida", sai para o famoso vôo de renovação, para viver, então, por mais 30 anos. Muitas vezes, em nossas vidas, temos que nos resguardar, por algum tempo, e começar um processo de renovação. Devemos nos desprender das (más) lembranças, (maus) costumes, e, outras situações que nos causam dissabores, para que continuemos a voar. Um vôo de vitória. Somente quando livres do peso do passado (pesado), poderemos aproveitar o resultado valioso que uma renovação sempre traz. Destrua, pois, o bico do ressentimento, arranque as unhas do medo, retire as penas das suas asas dos maus pensamentos e alce um lindo vôo para uma nova vida. Um vôo de vida nova e feliz.

Por que Jesus escolheu ser carpinteiro?

"Eu me fiz diversas vezes essa pergunta. Por que não foi um agricultor, um pastor de ovelhas ou um mestre da lei? Se tudo na sua vida foi planejado, seria sua profissão um mero acaso do destino? Certamente, não! Será que Ele se tornou um carpinteiro apenas porque esta profissão era humilde e despojada de grandes privilégios sociais? (Mateus 13:55)
Depois de pensar em tudo o que Jesus viveu, e analisar sua história detalhadamente, fiquei impressionado e profundamente comovido com as conclusões a que cheguei. Ele foi um carpinteiro porque iria morrer com as mesmas ferramentas com as quais sempre trabalhara. Quem suportaria trabalhar com as mesmas armas que um dia o destruiriam?
O jovem Jesus trabalhava diariamente com martelo, pregos e madeira. O menino (de acordo com Lucas, escritor do terceiro evangelho) sabia qual era sua missão, o que indica que Ele antevia seu destino. Isso explica por que previu claramente a maneira como morreria e a transmitiu aos seus íntimos antes de haver qualquer ameaça no ar. (Marcos 9:31)
Cada vez que o golpe do martelo nos pregos produzia um estalido agudo, Jesus tinha que aprender a proteger sua emoção. Ele poderia evitar o trabalho com martelo, pregos e madeira. Poderia ter aversão a tudo que lembrasse seu martírio, mas não o fez. As razões para que o jovem Jesus tivesse uma emoção doentia eram inúmeras.
A responsabilidade social, o desejo ardente de agradar seu Pai invisível, a preocupação com o destino da humanidade e a consciência do seu caótico fim eram fontes estressantes capazes de roubar-lhe completamente o encanto pela vida.
O simples fato de trabalhar com as mesmas ferramentas que iriam produzir as mais intensas feridas em seu corpo já era suficiente para criar zonas de tensão em seu inconsciente, controlar completamente sua personalidade e fazer dele um jovem infeliz e futuro adulto ansioso e inseguro. Mas, contrariando as expectativas, Jesus atingiu o auge da saúde psíquica, tornou-se um homem forte e seguro, não tinha medo da morte e nem da dor. Falava da superação da morte e da eternidade com uma segurança incrível. Era tão seguro, que se expunha em situações de risco e não retinha o que pensava."

Do livro “O Mestre do Amor” – Dr. Augusto Cury

Cuidado!!

Vamos meditar se não somos como essa folha que foi arrancada da árvore

(Jesus).

Parece viva aos olhos dos homens mas está condenada a morte espiritual,

a folha acha que está viva pois ainda pode receber os últimos nutrientes mas

logo acabará e ela morrerá.

O demonio gosta muito desse tipo de pessoas pois faz com que aqueles

que colocaram sua confiança nos homens achem esse tipo de pessoas como

referências pois sabe que ela morrerá e levará com elas muitos outros.

Parecem homens e mulheres de oração mas uma oração egocêntrica e cega.

Por estarmos cegos com o pecado não percebemos que estamos

morrendo e os primeiros sintomas é o desânimo, depois mais sensível a se

magoar e enfim

a depressão e o próximo passo é a morte espiritual que geralmente vem

junto com problemas de saúde pois o salário do pecado é a morte.

O que fazer?

Não fique mais de 2 meses sem confissão,

sempre tenha em sua oração o momento de perdão e

pedido de perdão por pecados que não consegue ver em você.

Cuidado conquistar o inferno é muito fácil. 

Ministério Geon

O que você deve saber ! - Conteúdos para estudos.

Estudos prontos em nosso blog:
Blog:
http://ministeriogeon.blogspot.com

Por que os grupos estão esvaziando??

A base para um grupo de oração é Seminário de Vida no Espírito Santo e Experiência de Oração, são esses encontros que dão frutos duradouros pois você leva a pessoa a ter uma experiência pessoal.
Grandes eventos são complementos se a pessoa teve essa experiência, mas se ela não teve não saberá o que fazer com as graças que está recebendo, ela não saberá da responsabilidade dos talentos e é muito mais fácil não se comprometer.
Por isso grandes eventos cheios de gente e grupos de oração com poucas pessoas e alguns grupos ainda perdem alguns dias no mês com Missas de cura e outros eventos (que é ótimo mas não no dia do grupo de oração) aonde perdem a particularidade do grupo e fica igual aos eventos abertos, sem compromissos.
Peço a Deus Sabedoria aos coordenadores e Sacerdotes pois os tempos são difíceis e o povo de Deus anda perdido com tantos caminhos a escolher.

Quer ser curado? Renuncie ao pecado

Padre Reinaldo
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Muitas pessoas não sabem o que significa o pecado. E, ao contrário do que muitas pensam, este é muito mais do que praticar atos, pois ele somente é sinal do rompimento da nossa relação com Deus.

A condição de pecador sempre nos acompanhará, pois somos limitados e imperfeitos, mas somos, sim, capazes de evitar os atos pecaminosos.

Ao assumirmos nossa pequenez e, a partir desse ponto, buscarmos Aquele que tem condições de nos tirar desse estado [pecado], estaremos trilhando pelo caminho certo.

O mundo perdeu o sentido do pecado, as pessoas pecam, ficam longe de Deus e fazem de conta que nada está errado. E, ao fazermos isso, estamos confrontando os planos de Deus em nossa vida, negando nossa origem a ponto de não acreditarmos mais no Senhor ou querendo nos transformar n'Ele.

Todas as vezes em que tentamos mascarar nosso pecado, estamos dizendo para Deus que não queremos sair da condição que nos encontramos. Temos a chance de nos redimir com a confissão e voltar aos braços do Pai.

Deus nos ama independentemente da forma como estamos, Ele ama o pecador, mas não o pecado. Por isso, para corresponder a esse amor, devemos mudar, porque aquele que realmente ama é capaz de ir ao limite pela pessoa amada.

Site Canção Nova


Dons de SantificaçãoOs Dons de Santificação ou Dons do Espírito Santo são como hábitos ou disposições sobrenaturais que nos conduzem a pensar, julgar e agir em todas as circunstâncias como fariam Cristo Nosso Senhor ou Sua Santíssima Mãe, se estivessem em nosso lugar. Com efeito, aqueles que se deixam conduzir com docilidade pelo Espírito Santo comportam-se de um modo divino e, por isso mesmo, santo. “Doador dos sete dons” ou “septiforme nos teus dons” é como se chama o Espírito Santo nos cânticos, ladainhas e hinos que lhe são dedicados.

O texto bíblico que lhe deu origem é Isaías 11, 1 – 3, “Um renovo sairá do tronco de Jessé,e um rebento brotará de suas raízes. Sobre ele repousará o Espírito do Senhor, Espírito de sabedoria e de entendimento,Espírito de prudência e de coragem,Espírito de ciência e de temor ao Senhor.(Sua alegria se encontrará no temor ao Senhor).”À lista desta versão da bíblia com os seis dons, a versão da Vulgata Jerominiana e a Tradução Grega dos 70 (Septuaginta) acrescem a piedade, eliminando a dupla menção do temor de Deus e obtendo assim o número de sete.

Entre os dons do Espírito Santo, o
dom da Ciência ocupa o primeiro lugar, pela sua importância na vida espiritual. O dom da Ciência faz com que se substitua a mentalidade mundana, isto é, meramente humana, pela maneira de ver de Deus. A alma passa então a julgar todas as coisas à luz da fé, e compreende com toda a nitidez o fim sobrenatural do homem e a necessidade de subordinar-lhe todas as realidades terrenas.

O
dom do Conselho tem por finalidade aperfeiçoar a virtude da prudência, fazendo com que a alma possa discernir de imediato o que deve fazer ou deixar de fazer, tanto no que diz respeito à sua própria conduta como à do próximo.Trata-se como que de um conjunto de raciocínios iluminados pela graça de Deus que nos mostra de maneira nítida e precisa o que convém fazer ou evitar de fazer em determinadas circunstâncias. Esse “golpe de vista” tão preciso, é resultado do estudo e da reflexão, mas é também como que um “instinto sobrenatural” que provém do dom do Conselho.


O
dom do Entendimento é uma disposição sobrenatural da alma que lhe permite captar e compreender de maneira extremamente clara e como que por intuição determinados mistérios de nossa fé ou até mesmo passagens das Sagradas Escrituras. Sob o influxo desse dom a alma penetra de maneira extremamente clara nos mistérios revelados, capta o alcance das verdades mais profundas da fé, deixa-se conduzir por caminhos de uma oração sempre mais vivenciada.


O
dom da Sabedoria pode ser definido como uma disposição sobrenatural da inteligência que leva a dar valor àquilo que diz respeito às coisas de Deus e à glória de seu nome. " A sabedoria vale mais que as pérolas e jóia alguma a pode igualar " (Prov 8, 11). O dom da sabedoria não se aprende nos livros mas é comunicado à alma pelo próprio Deus, que ilumina e enche de amor a mente, o coração, a inteligência e a vontade.

 

O
dom da Piedade consiste numa disposição sobrenatural da alma que a inclina, sob a ação do Espírito Santo, a comportar-se nas suas relações com Deus como uma criança muito carinhosa se comporta com seu pai, por quem se sabe imensamente amada e querida.


O
dom da Fortaleza é a capacidade que o Espírito Santo nos dá de viver e suportar as provações e de uni-las às provações de Cristo. A alma totalmente entregue ao Espírito Santo encontra, no dom da Fortaleza, uma disposição sobrenatural que a torna capaz de empreender as ações mais difíceis e de suportar as provas mais duras por amor a Deus e pela glória de seu nome.


O
dom do Temor de Deus é uma disposição sobrenatural da alma que a faz experimentar um imenso respeito por Deus e uma complacência sem limites na sua bondade de Pai. Não se trata de temor servil, nem de temor de desagradar, mas de temor reverencial: Deus é tão grande, tão todo-poderoso, que queremos servi-lo e amá-lo de todo coração porque Ele é nosso Tudo."

 

Já não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim " (Gal 2,20)

Tribulação!No tempo da desolação não se deve mudar nada, mas perseverar firme e constante nos propósitos feitos no tempo da consolação; porque do mesmo modo que na consolação nos aconselha e guia o bom espírito, assim o mau nos causa, na desolação, sugestões, a que não podemos dar assentimento.Sto Inácio Loyola

Os dons são ferramentas para servir e não para nossa santificação.

Se você sabe pregar, cantar, dançar ou atuar e tem autoridade nesse ministério não significa que você vive o que prega e que existe a possibilidade de irmos para inferno com a bíblia na mão, vamos fazer uma ótima confissão nesse final de Ano.

A palavra de Deus é clara quando diz que o pecado nos cega, São Tomas de Aquino diz que o inimigo de Deus monta um teatro diante de nossos olhos que não é real, será que o que estou vendo e sentindo não é mentira, nessa dúvida vamos pedir para que tenhamos o pensamento de Cristo e sempre duvidar de nossas certezas humanas.
Autor:Cristina

 
O que define o homem são as suas escolhas!!

Apesar de eu estar cansada eu escolho servir,

apesar de eu estar triste eu escolho sorrir,

apesar de eu estar sofrendo eu escolho cantar,

apesar de eu querer estar aqui eu escolho estar disponível,

apesar de eu amar mais isso eu escolho amar mais a Deus.

O seu querer vai tranformar você e direcionar a sua alma a santidade.

A palavra de Deus é clara a você cabe o querer e a Deus o executar.

Ao servir, Deus estará cuidando de sua coisas pois você está cuidado das Dele, palavra de grandes Santos da igreja.

É um grande flagelo para alma ir contra o nosso egoísmo, mas felizmente é o único caminho para conseguir a coroa da vitória.

Autor: Cristina

 
O tempo passa depressa.
A
palavra de Deus diz que nossa vida é como uma sombra, ela passa rápido demais e o inimigo de Deus faz com que não vivamos intensamente e assim vivendo menos ainda.
Existe uma grande diferença em arriscar em Deus e não dar certo do que ficar imaginando como seria se...

Ficamos naquilo que nos é mais seguro, mais confortável e menos desgastante e no final já estamos diante de Deus e infelizmente não temos nada a apresentar a não ser obras de meu egoísmo que não tem valor algum diante de Deus.

Desperta tu que dormes, levanta-te dos mortos e Deus te abençoará.

Ouça a voz do Senhor
mas primeiro entregue a
sua vontade de ser reconhecido, de ser amado, de ser escolhido ou de ser exaltado e
troquepor ser ninguém diante das pessoas e um grande amigo de Deus.

autor: Cristina

 
Grupo de Oração
Resumidamente o Grupo de oração tem o formato de um "U".

1- Iniciamos com Louvor e Acolhimento

2- Depois Iniciamos com o sinal da cruz (Vinde Espirito Santo....)e pedimos a presença do Espirito Santo

3- Pedimos perdão de nossos pecados para podermos estar abertos a palavra e oração.

4- Partilhamos 20 minutos da Palavra

5- Oramos para que a palavra de frutos em nosso coração

6- Agradecemos por aquilo que Deus fez no grupo de Oração

7- Encerramos com a Paz
Cuidados durante o grupo : Não mascar chicletes ou balas (estamos em oração e na presença de Deus) e cuidado com decotes, transparência e roupas justas, pois não é local apropriado.
Percebe que iniciamos como Louvores e conforme o grupo caminha nos aprofundamos na oração e depois voltamos ao Agradecimento.

Isto não precisa ser seguido como uma receita de bolo pois o Espirito Santo é criativo e termos dias no Grupo o Senhor nos pede Adoração e outros Grupinhos de Partilha.

Mas é necessário o Musico saber que no grupo de oração ele não pode conduzir sozinho, ele deve conversar com o Coordenador qual será o tema e o que acontecerá no grupo para você poder saber os momentos que poderá cantar e os momentos que não poderá. No grupo você deverá obedecer ao Coordenador(estando ele certo ou não).

Tudo deve ter sabedoria, você não irá montar um som para um Show se irão tocar duas musicas no grupo, mas com todo amor e zelo leve um equipamento mais leve.

Também não vai uzar o zilhão de potencia para um grupo de oração com 10 pessoas.

O dom do discernimento é importante.

Se você é minístro de música deve participar de um grupo de oração, pois a nossa identidade está no grupo de oração e é lá que você vai crescer.

Grupo de oração não é um remédio de uma capsula só, se você já participou e não participa mais você vai perdendo esta identidade pois ela é alimentada a cada semana.

Pois é lá que você irá aprender a viver em comunidade, irá aprender a obedecer e ser contrariado, é lá que você irá perdoar e é lá que você irá fazer sua oração comunitária.(A oração completa tem que ter oração pessoal e comunitária "grupo de oração" .)

 

O que são livros apócrifos?

Sem a autoridade da Igreja eles não podem ser interpretados

São aqueles livros que foram escritos pelo povo de Deus, mas que não foram considerados pelo Magistério da Igreja como revelados pelo Espírito Santo, portanto, não são canônicos, isto é, não fazem parte do cânon (índice) da Bíblia. As razões que levaram a Igreja a não considerá-los como Palavra de Deus é que muitos são fantasiosos sobre a Pessoa de Jesus e sobre outros personagens bíblicos. Além disso, muitos destes possuem até heresias como o gnosticismo. No entanto, neles há algumas verdades históricas e isso faz a Igreja considerá-los importantes nos estudos. Há livros apócrifos referentes ao Novo e ao Antigo Testamento. Alguns deles são os seguintes:

A.
Referentes ao Antigo Testamento

Jubileus; A Vida de Adão e Eva; 1 Henoque; 2 Henoque; Apocalipse de Abraão; Testamento de Abraão; Testamento de Isaac; Testamento de Jacó; Escada de Jacó; José e Asenet; Testamento dos Doze Patriarcas; Assunção de Moisés; Testamento de Jó; Salmos de Salomão; Odes de Salomão; Testamento de Salomão; Apocalipse de Elias; Ascensão de Isaías; Paralipômenos de Jeremias; Apocalípse Siríaco de Baruc; Apocalipse de Sofonias; Apocalipse de Esdras; Apocalipse de Sedrac; 3 Esdras; 4 Esdras; Sibilinos; Pseudo-Filon; 3 Macabeus; 4 Macabeus; Salmos 151-155; Oração de Manassés; Carta de Aristeu; As Dezoito Bênçãos; Ahigar; Vida dos Profetas; Recabitas;

B.
Referentes ao Novo Testamento

Evangelhos
Evangelho segundo os Hebreus (gnóstico) – fim do século I.
Proto - Evangelho de Tiago (História do nascimento de Maria).
Evangelho do Pseudo Tomé.
Evangelho de Pedro (docetismo) – meados do século II.
Evangelho de Nicodemos.
Evangelho dos Ebionitas ou dos Doze Apóstolos– meados do século II.
Evangelho segundo os Egípcios – meados do século II.
Evangelho de André – séculos II/III
Evangelho de Filipe – séculos II/III
Evangelho de Bartolomeu – séculos II/III
Evangelho de Barnabé – séculos II/III

Outros Assuntos

O drama de Pilatos
A morte e Assunção de Maria
A Paixão de Jesus
Descida de Jesus aos Infernos
Declaração de José de Arimatéia
História de José, o carpinteiro

Atos

Atos de Pedro; Atos de Paulo; Atos de André; Atos de João; Atos de Tomé; Atos de Felipe; Atos de Tadeu.

Epístolas

Epístolas de Barnabé
Terceira Epistola aos Coríntios – século II d.C.
Epístola aos Laodicenses – fim do século II d.C.
Carta dos Apóstolos – 180 d.C.
Correspondência entre Sêneca e São Paulo – século IV d.C.
Apocalípses

Apocalipse de Pedro – meados do século II
Apocalipse de Paulo – 380 d.C.
Sibila Cristã – século III

Isso mostra que a Igreja foi muito criteriosa na seleção dos livros que formariam a Bíblia, isto é, revelados, Palavra de Deus. Por Intermédio de sua Tradição, interpretada pelo Magistério, a Igreja nos deu a Bíblia como a temos hoje. Portanto, sem a autoridade dela [Igreja] a Sagrada Escritua não pode ser interpretada, pois não existiria a Bíblia, como a temos hoje, sem a Igreja.
Felipe Aquino

Podemos venerar as imagens dos santos?

Não devemos adorar imagens ou fazer delas amuletos de sorte pois as imagens são para nos lembrar que pessoas como nós conseguiram ser santos.

Desde os primeiros séculos os cristãos pintaram e esculpiram imagens de Jesus, de Nossa Senhora, dos santos e dos anjos, não para adorá-las, mas para venerá-las. As catacumbas e as igrejas de Roma, dos primeiros séculos, são testemunhas disso. Só para citar um exemplo, podemos mencionar aqui o fragmento de um afresco da catacumba de Priscila, em Roma, do início do século III. É a mais antiga imagem da Santíssima Virgem. O Catecismo da Igreja Católica (CIC) traz uma cópia dessa imagem (Ed. de bolso, Ed. Loyola, pag.19).


É o caso de se perguntar, então: Será que foram eles "idólatras" por cultuarem essas imagens? É claro que não. Eles foram santos, mártires, derramaram, muitos deles, o sangue em testemunho da fé. Seria blasfêmia acusar os primeiros mártires da fé de idólatras. O Concílio de Nicéia II, em 787, declarou:


"Na trilha da doutrina divinamente inspirada dos nossos santos Padres, e da Tradição da Igreja Católica, que sabemos ser a tradição do Espírito Santo que habita nela, definimos com toda a certeza e acerto que as veneráveis e santas imagens, bem como a representação da cruz preciosa e vivificante, sejam elas pintadas, de mosaico ou de qualquer outra matéria apropriada, devem ser colocadas nas santas igrejas de Deus, sobre os utensílios e as vestes sacras, sobre paredes e em quadros, nas casas e nos caminhos, tanto a imagem de Nosso Senhor, Deus e Salvador, Jesus Cristo, quanto a de Nossa Senhora, a puríssima e santíssima mãe de Deus, dos santos anjos, de todos os santos e dos justos" (Catecismo da Igreja Católica, nº 1161).


Deus nunca nos proibiu de fazer imagens, e sim “ídolos”, deuses, para adorar. O povo de Deus vivia na terra de Canaã, cercado de povos pagãos que adoravam ídolos em forma de imagens (Baals, Moloc, etc). Era isso que Deus proibia terminantemente. A prova disso é que o Altíssimo ordenou a Moisés que fabricassem imagens de dois querubins e que também pintassem as suas imagens nas cortinas do Tabernáculo. Os querubins foram colocados sobre a Arca da Aliança.
Confiar essas passagens: Ex. 25,18s, Ex 37,7; Ex. 26,1.31; 1 Rs. 6,23; I Rs 7,29;
2 Cr. 3,10.

Da mesma forma, Deus Pai mandou que, no deserto, Moisés fizesse a imagem de uma serpente de bronze (cf. Nm 21, 8-9), que prefigurava Jesus pregado na cruz (cf. Jo 3,14). Que fique claro,
Deus nunca proibiu imagens, e sim, "fabricar imagens de deuses falsos". Mas isso os cristãos nunca fizeram porque a Igreja nunca permitiu. As imagens sempre foram, em todos os tempos, um testemunho da fé. Para muitos que não sabiam ler, as belas imagens e esculturas foram como que o Evangelho pintado nas paredes ou reproduzido nas esculturas. Vitor Hugo dizia que as igrejas eram “Bíblias de pedra”. As imagens nos lembram que aqueles que elas representam chegaram à santidade por graça e obra do próprio Deus, são exemplos a serem seguidos e diante de Deus intercedem por nós.


Felipe AquinoOutras SeitasNão tem como ser católico e espírita ou católico e participar de seitas orientais.

Por quê? Vamos direto ao assunto.

Pegue sua Bíblia e procure as seguintes passagens:


  1. Levítico 20

  2. Deuteronômio 18


Nessas duas passagens você vê claramente a postura de Deus diante do espiritismo, adivinhação ou evocação dos mortos.

Isso denuncia as práticas supersticiosas.


  1. Sabedoria 2

  2. Hebreus 9: 27


Nessas duas passagens é definido que você morre uma só vez e logo em seguida vem o juízo.

Isso nega a possibilidade da reencarnação para se purificar.

 
Ministério das ArtesTemperamentos controlados pelo Espírito Santo

Filipenses 1:6
O temperamento é o conjunto básico de nosso ser; é a combinação de diferentes características, transmitidas geneticamente, as quais inconscientemente, controlam nosso procedimento. Devido à diferença dos temperamentos, as pessoas poderão ter reações ou comportamentos diferentes perante a mesma situação.

Certa vez ouvi, sabiamente, alguém dizer: “nas melhores pessoas encontramos os maiores defeitos e nas piores pessoas, as maiores virtudes”.
As pessoas podem ser classificadas em quatro grupos de temperamentos: SANGUÍNEO, MELANCÓLICO, COLÉRICO e FLEUMÁTICO.

SANGUÍNEO
Qualidades – Comunicativo, destacado, entusiasta, afável, simpático, bom companheiro, compreensivo, crédulo.

Defeitos – Fraco de ânimo, volúvel, indisciplinado, impulsivo, inseguro, egocêntrico, barulhento, exagerado, medroso.

MELANCÓLICO
Qualidades – Habilidoso, minucioso, sensível, perfeccionista, esteta, idealista, leal, dedicado.

Defeitos – Egoísta, amuado, pessimista, teórico, confuso, anti-social, crítico, vingativo, inflexível.

COLÉRICO
Qualidades – Enérgico, resoluto, independente, otimista, prático, eficiente, decidido, líder, audacioso.

Defeitos – Iracundo, sarcástico, impaciente, prepotente, intolerante, vaidoso, auto-suficiente, insensível, astucioso.

FLEUMÁTICO
Qualidades – Calmo, tranqüilo, cumpridor de deveres, eficiente, conservador, pratico, líder, diplomata, bem-humorado.

Defeitos – Calculista, temeroso, indeciso, contemplativo, desconfiado, pretensioso, introvertido, desmotivado.


Deus nos usa como somos.
Por exemplo:

O apóstolo
Pedro era sangüíneo. O sangüíneo tem o “sangue quente”. “As falhas de Pedro estavam justamente no calor do seu coração”. Ele exibia calor, intensivamente em suas emoções e ação dinâmica. Ninguém foi tão falante, tão vibrante e tão decisivo como Pedro. Amava ao Senhor intensamente e era o seu companheiro de todas a horas, Mt.17:1, Jo.21:17. Demonstrava publicamente as suas emoções para com o Senhor, Lc.5:1-11; Jo.6:69. Era desinibido e sincero, Lc.5:8. Comunicativo, sempre respondia com entusiasmo às emoções do seu coração, Mt.14:28-29; Jo.18:10; Submetendo suas fraquezas ao Senhor e cheio do Espírito Santo, Deus o fortaleceu, 1Pe.5:10. Através do livro de Atos podemos ver que seus defeitos foram sobrepujados pelas qualidades, que se realçam em poder nas palavras, 1Pe.2:14-40; constância, 1Pe.3:1; coragem, 1Pe.4:13; sabedoria, 1Pe.4:19-20; alegria, 1Pe.5:41; humildade, 1Pe.10:25-26; amor, 1Pe.10:21-28, amabilidade, 1Pe.11:4; fé, 1Pe.12:6; paciência. 1Pe.12:16 e liderança 1Pe.15:7.

Moisés era melancólico. Muitos personagens da Bíblia demonstraram possuí-lo, mas o mais destacado foi Moisés. Moisés era talentoso At.7:22; abnegado, Hb.11:23-27; perfeccionista (Deus usou essa qualidade para lhe dar os detalhes da Lei, da justiça divina e do Tabernáculo); leal (os livros da Lei, revelam isso) e extremamente dedicado, Ex.32:31-32. Mas sofria de um complexo de inferioridade que trazia à tona todas as fraquezas do melancólico, Ex. 3:11-13; Ex. 4:1,3,10,13. Muitas vezes se deixava dominar pela ira, Nm.20:9-12 e pela depressão, Nm.11:11-15. O seu encontro com o Senhor no Monte Horebe e a freqüente busca da sua face, contudo, fizeram dele um homem cheio do Espírito Santo, um líder destemido, e tornou-se “o homem mais manso da Terra”, Nm.12:3. Suas qualidades se destacaram e foi o grande legislador de Israel.

Paulo era colérico. A principal qualidade do colérico é a força de vontade, que faz dele uma pessoal enérgica, eficiente, resoluta, e um líder cheio de audácia e otimismo. Paulo foi um portador desse temperamento notável, o livro de Atos e suas cartas no-lo revelam. Exemplos: Gl.1:10; Fp.3:10-14; Gl.1:15-18; At.14:19-24. Apesar deste caráter ativo, prático, dinâmico e corajoso, Paulo antes de conhecer a Jesus e receber o Espírito Santo, demonstrou-se um homem cruel, zangado, hostil e amargurado, At.9:1; insensível, At.7:58-59; astucioso e prepotente, At.9:2. Ele testificou de si mesmo, o que vemos em 1Tm.1:12-16. Porem, o enchimento diário do Espírito Santo, a entrega de suas falhas a Deus, 2Co.12:7-10, fizeram dele um líder apto a escrever Gl.5:16-22. Olhando para suas fraquezas, ele afirmou ”Posso todas as coisas naquele que me fortalece”, Fp.4:13.

Abraão era fleumático. Todas as qualidades do fleumático estavam presentes na vida do fiel Abraão. Ele era pacífico, prático e bem humorado, Gn.13:8-9; leal, calmo e eficiênte, Gn.14:14-16; cumpridor de seus deveres, Gn.14:20; conservador em seus princípios, Gn.14:22-24. Deus o provou em todas as suas promessas, mas ele permaneceu firme na fé. Dele disse Deus: “Eu o tenho conhecido”, Gn.18:19. Todavia, ele apresentava também os defeitos desse tipo de temperamento. Com o crescimento da sua vida espiritual e submissão a Deus, assumiu suas posições e foi liberto da incredulidade, Hb.11:8-9; do medo, Hb.11:17 e fortalecido na fé, Gn.22:8. Apesar de seu temperamento, o seu direcionamento à Deus, o fez um dos maiores homens que já viveu.

O homem carnal e o cristão imaturo se deixam dominar ou influenciar pelos aspectos negativos do seus temperamentos. Muitas situações difíceis na Igreja, no lar, e na vida secular, são criadas por desconhecimento de nossas fraquezas e falta de um critério espiritual para tomar nova direção.

Deus precisava tanto de Paulo colérico, que teve coragem de chegar diante das autoridades e dizer: “estou falando Daquele Jesus que vocês crucificaram, e que não ficou no túmulo, mas ressuscitou dos mortos”, como precisava do amor e carinho de João o fleumático, que tratava a todos com palavras doces como: “filhinhos...amados”. É importante notar que Deus não mudou o temperamento deles, mas canalizou-os, controlando-os com Seu Espírito, fez deles bênçãos. É isso que Ele quer fazer com você.

Deus quer usá-lo como você é:


  • Se você é sangüíneo, use sua habilidade de comunicação para falar do reino de Deus.
  • Se você é melancólico, use toda sua sensibilidade, habilidade e dedicação ao Reino de Deus.
  • Se você é colérico use toda sua audácia, coragem e eficiência, como Paulo, para falar em qualquer tempo e em qualquer lugar, sobre o Jesus crucificado, mas ressurrecto.
  • Se você é Fleumático, use seu amor sua maneira carinhosa de ser, para mostrar ao mundo que vive no ódio e no desamor, o amor Daquele que deu o Seu único Filho por nós e que nos amou primeiro.

Deus nos fez como somos. Seja o que você é, e apenas canalize para Deus o seu temperamento.

Deus quer tão somente controlá-lo, de maneira tal que tudo em você seja para glória Dele. Seja um TCE – Temperamento Controlado pelo Espírito


Missa ou Celebração Eucarística
Na missa não fazemos um teatro relembrando a primeira Celebração Eucarística e sim vivemos novamente este milagre a cada missa.


  • Canto de Entrada : que deve Acolhedor e geralmente alegre e deve seguir a Liturgia do dia.
  • Ato Penitencial : Pedido de perdão a Deus
  • Glória: Obrigatoriamente tem que ter Glória ao Pai e ao Filho.
  • Salmo: Salmodiado com uma melodia que o povo consiga acompanhar.
  • Evangelho: Cabe Aleluias, temas que dizem que você quer escutar e entender a Palavra.
  • Ofertório: Acima de tudo músicas que levem as pessoas a oferecer sua vida no altar.
  • Santo: Este momento é de Deus Pai e não Deus Filho.
  • Após a Consagração só deve cantar se o Padre pedir pois a liturgia pede silêncio.
  • Cordeiro: Pode ser cantado ou Não
  • Pai-Nosso: Não se diz amém no final e quando cantado deve ter todas as partes do Pai Nosso e não somente algumas partes.
  • Comunhão: Cantos que falem do Pão e Vinho
  • Ação de Graças: Deve-se cantar sempre em concordância com o Sacerdote que esteja celebrando pois também cabe neste momento silêncio. Cantos que agradeça o Amor de Deus ou Adoração de Jesus que está no seu coração.
  • Final: É um canto não obrigatório mas que maior parte das igrejas o Padre pede. Deve ser um canto que tenha mensagem que feche o Tema da Missa.

 
Cuidados que o Ministério de Música deve saber:

  • Não mascar
chicletes ou comer
balas durante a missa o Jejum inclui isso também.
  • Falar somente o necessário e prestar atenção em toda a Missa.
  • Cuidar com a roupa não utilizando decotes, saias curtas, bermudas curtas, transparência, camisas abertas ou calças justas pois na Missa você vai para ter um encontro com Deus e não para fazer propaganda do seu corpo.
  • Não é necessário fazer o sinal da cruz ou se ajoelhar após receber a comunhão, Jesus está dentro de você qualquer sinal externo perde seu valor.
  • Se você gosta de fazer Shows lembre-se que na Missa você
NÃO DEVE FAZER COMO UM SHOW pois você não é o centro das atenções e sim JESUS, não faça papel de bobo.
  • A confissão não é indicada ela é NECESSARIA, não deixe passar mais que três meses sem se confessar pois Santo Agostinho dizia que o perigo maior está nas estalactites do nosso coração que são pequenos pecados e coisas mal confessadas que podem nos distanciar de Deus.


Bibliografia:
http://www.mariadenazare.org.br/Nucleo%20de%20Formacao/Seminario/Seminario%20Vida%20Plena.doc
http://recantodasletras.uol.com.br/artigos/1124168
http://apostoladoleigoinaciano.com/temperamentos.htm
Fonte: Formação Comunidade Shalom
Livro: Silêncio do Músico (Martin Val Verde)
Livro: As Tentações do Músico (Martin Val Verde)

Fórum

Clique aqui e deixe aqui o seu testemunho! Esses testemunhos irão ajudar a renovar a sua fé.

Iniciado por Cristina. Última resposta de Cristina 1 Jun, 2012. 13 Respostas

O testemunho pode mudar a vida de uma outra pessoa deixe aqui o seu.Continuar

Tags: cristão, testemunho

 
 
 

O segundo Musical!

Eventos

Notas

Mais sobre o Ministério Geon

 

O nome Geon foi retirado da Bíblia, Livro do Gênesis, capitulo II  versículo 13.  
         Geon é o nome de um dos rios que banhavam o Jardim do Éden.
 
         O grupo nasceu na…
Continuar

Criado por Cristina 29 Maio 2010 at 8:49. Atualizado pela última vez por Cristina 28 Abr, 2011.

Mensagens de blog

Clique aqui e deixe sua resposta para Quem é Jesus pra você?

Postado por Cristina em 8 fevereiro 2012 às 18:00 10 Comentários

Partilhe sua experiência pessoal.…

Continuar

Badge

Carregando...

© 2016   Criado por Cristina.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço